10 lugares que contam a história de São Paulo pela arquitetura Agenda Cultural / História e Arte

A história de uma cidade pode ser contada e entendida através da sua arquitetura, e quando as construções que transmitem essa história podem ser vivenciadas, a experiência é completa.  Assim, essa lista foi pensada não só para quem gosta de arquitetura, mas também para tentar ilustrar as diversas fases vividas pela cidade, por meio de atrações e passeios que nos permitem compreender e interagir com o seu desenvolvimento ao longo dos tempos. Da época colonial ao atual processo de resgate do centro antigo como símbolo de São Paulo, esses prédios ajudam a nos contar a sua história, ao mesmo tempo que nos fazem sentir parte dela.

Casa do Bandeirante Foto: Divulgação

Casa do Bandeirante
Foto: Divulgação

Casa do Bandeirante (integra o Museu da Cidade de São Paulo)

Testemunho de um tempo onde a população da cidade girava em torno de apenas 10.000 habitantes – entre os séculos XVII e XVIII – a Casa do Bandeirante é um exemplar de habitação rural da época, já que a região do Butantã estava muito distante do então núcleo urbano de São Paulo. Por estar localizada em uma praça, proporciona uma atmosfera que nos transporta para esse período histórico, reforçada pelo acervo de objetos antigos. Site Casa do Bandeirante. Praça Monteiro Lobato, s/n. Tel.: (11) 3031 0920. Terça a domingo, das 9h às 17h. Entrada gratuita. CPTM: Estação Cidade Universitária (Linha 9/Esmeralda); Ônibus: Linha 7725-10: Rio Pequeno – Terminal Lapa

Cinemateca Brasileira era um antigo matadouro Foto: Caio Brito

Cinemateca Brasileira era um antigo matadouro
Foto: Caio Brito

Cinemateca

Antigo Matadouro Municipal, a construção é da década de 1880 e exemplifica bem o estilo arquitetônico industrial daquele tempo. Tombada pelos órgãos de preservação da cidade e do estado, virou a sede da Cinemateca Brasileira em 1992 e teve o seu restauro concluído mais de dez anos depois. Além das salas de projeção e da biblioteca, oferece espaços expositivos e jardins externos amplos e bem agradáveis, onde promove eventos como sessões de cinema ao ar livre e apresentações artísticas. Arquitetos:  Alberto Kuhlmann (projeto original do matadouro) e Nelson Dupré (restauro e adaptação p/ cinemateca); Site Cinemateca. Largo Senador Raul Cardoso, 207. Tel.: (11) 3512 6111. Todos os dias, das 9h às 18h. Entrada gratuita. Metrô: Estação Vila Mariana (Linha 1/Azul); Ônibus: Linha 475R-10: Jd. São Saverio – Terminal Pq. D.Pedro II, Linha 476G-10: Jardim Elba – Ibirapuera, Linha 5106-10: Jardim Selma – Lgo. São Francisco (circular)

 

Estação da Luz Foto: Divulgação

Estação da Luz

Marcada pelo triste episódio do incêndio que destruiu o Museu da Língua Portuguesa, um dos seus principais atrativos, a Estação da Luz continua linda e digna de integrar essa lista como um ícone da arquitetura ferroviária da virada do século XIX / XX. Reflexo da pujança econômica trazida pelo café e um dos símbolos de São Paulo, todo o material da sua construção foi importado da Inglaterra, e após a reconstrução de 1951, cinco anos depois que um primeiro grande incêndio a atingiu, teve o seu segundo restauro finalizado em 2006. Ainda hoje, o intenso movimento dos passageiros atesta a importância que tem para a cidade. Arquitetos: Charles Henry Driver (britânico; projeto original) e Pedro e Paulo Mendes da Rocha (restauro e adaptação p/ museu da língua portuguesa) Site Estação da Luz. Praça da Luz, 1. Tel.: 0800 550121. Todos os dias, das 4h às 24h. Entrada gratuita. Metrô: Estação Luz (Linhas 1/Azul e 4/Amarela); CPTM: Estação Luz (Linhas 7/Rubi e 11/Coral)

Casa Modernista Foto: Fábio Cintra

Casa Modernista
Foto: Fábio Cintra

Casa Modernista (integra o Museu da Cidade de São Paulo)

A sua história é curiosa. O projeto da casa foi apresentado para aprovação na prefeitura com as fachadas adornadas, uma exigência da época. Ao finalizar a construção, em 1928, o arquiteto Gregori Warchavchik alegou falta de dinheiro para a ornamentação externa, e assim pôde seguir com a sua ideia inicial de uma construção racional e limpa, o que acabou a consagrando como pioneira da arquitetura moderna no Brasil. O parque onde está localizada é um belo complemento à visita. Site Casa Modernista. Rua Santa Cruz, 325. Tel.: (11) 5083 3232. Terça a domingo, das 9h às 17h. Entrada gratuita. Metrô: Estação Santa Cruz (Linha 1 / Azul)

Museu da Casa Brasileira. Foto: Divulgação

Museu da Casa Brasileira. Foto: Divulgação

Museu da Casa Brasileira

Nem tanto a arquitetura do museu em si – antiga residência do prefeito Fábio Prado (1934-1938) em estilo neoclássico, finalizada em 1945 – o que vale a visita são as exposições e os eventos promovidos pelo MCB, único museu de arquitetura e design do país, que também visa ser um centro de referência dessas áreas. Nos fundos da casa, o jardim é praticamente um oásis na movimentada avenida Faria Lima, passeio irresistível. Arquiteto: Wladimir Alves de Souza . Site Museu da Casa Brasileira. Av. Brig. Faria Lima, 2705. Tel.: (11) 3032 3727 / 3026 3900. Terça a domingo, das 10h às 18h. Entrada R$ 7,00 (meia R$ 3,50; gratuito aos sábados, domingos e feriados, para maiores de 60 anos e crianças até 10 anos). CPTM: Estação Cidade Jardim (Linha 9/Esmeralda); Ônibus: Linha 107T-10: Metrô Tucuruvi – Term. Pinheiros, Linha 477A-10: Sacomã – Term. Pinheiros, Linha 637A-10: Term. Jd.Ângela – Term. Pinheiros, Linha 637A-26: Term. Guarapiranga – Term. Pinheiros, Linha 637P-10: Term. Sto.Amaro – Term. Pinheiros, Linha 648P-10: Term. Capelinha – Term. Pinheiros, Linha 847P-10: Term. Pirituba – Itaim Bibi

conj.nac

Conjunto Nacional

Fruto da ambição de um empresário em fazer da Paulista a principal avenida de São Paulo, o Conjunto Nacional foi completado em 1962 como a primeira grande estrutura da cidade que reunia comércio, habitação, serviços e entretenimento em um só lugar. Inaugurou também uma nova era de ocupação da avenida por grandes edifícios comerciais – que acabaram substituindo os antigos casarões da elite cafeeira – e se tornou uma simbólica referência na região, além de um tradicional ponto de encontro. Arquiteto: David Libeskind. Site Conjunto Nacional. Av. Paulista, 2073. Tel.: (11) 3262 5172. Segunda a sexta, das 7h às 22h; Sábados, domingos e feriados, das 10h às 22h. Entrada Gratuita. Metrô: Estação Consolação (Linha 2/Verde com acesso também pela Estação Paulista da Linha 4/Amarela)

Arquitetura arrojada no Centro Cultural SP Foto: João Musselin

Arquitetura arrojada no Centro Cultural SP
Foto: João Musselin

Centro Cultural São Paulo

O terreno, resultado das desapropriações para a construção do Metrô na década de 1970, foi doado para a prefeitura, que ali resolveu construir um grande centro cultural nos moldes do Georges Pompidou, em Paris. O seu projeto foi concebido de uma forma que diferentes expressões culturais e artísticas pudessem conviver e se complementar, e a sua arquitetura transparente e de amplos espaços integrados acaba refletindo essa intenção. Aberto em 1982, é um polo dinâmico com a cara de São Paulo. Arquitetos: Eurico Prado Lopes e Luiz Telles Site Centro Cultural São Paulo. Rua Vergueiro, 1000. Tel.: (11) 3397 4002. Segunda a sexta, das 10h às 20h; Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h. Entrada gratuita. Metrô: Estação Vergueiro (Linha 1/Azul)

Arquitetura arrojada do Sesc Pompeia Foto: Wikimedia

Arquitetura arrojada do Sesc Pompeia
Foto: Wikimedia

Sesc Pompeia

Instalada em uma antiga fábrica de tambores da década de 1930, essa unidade do Sesc teve a sua estrutura finalizada em 1986, quando foram concluídas as edificações anexas projetadas por Lina Bo Bardi, autora também da sede do MASP, na Avenida Paulista. Além do ambiente único criado pela harmonia entre os dois estilos arquitetônicos, a ótima programação cultural faz desse um passeio imperdível na cidade. Site Sesc Pompeia. Rua Clélia, 93. Tel.: (11) 3871 7700 Terça a sábado, das 9h às 22h; Domingos e feriados, das 9h às 20h. Entrada gratuita. CPTM: Estação Água Branca (Linha 7/Rubi); Ônibus: Linha 748R-10: Jd. João XXIII – Metrô Barra Funda, Linha 8000-10: Term. Lapa – Pça. Ramos de Azevedo, Linha 8400-10: Term. Pirituba – Pça. Ramos de Azevedo, Linha 8615-10: Pq. da Lapa – Term. Pq. D.Pedro II, Linha 877T-10: Vl. Anastácio – Metrô Paraíso, Linha 938C-10: Cohab Taipas – Term. Princ. Isabel

Memorial da América Latina Foto: Divulgação

Memorial da América Latina

O memorial nasceu com a proposta de ser um ponto de intercâmbio cultural, político, social e econômico com os nossos vizinhos latino-americanos. Obra com  o estilo inconfundível do arquiteto brasileiro mais conhecido internacionalmente, Oscar Niemeyer, foi inaugurado em 1989 e logo se tornou palco para atividades artísticas, científicas e educacionais, incentivando a consolidação de uma identidade regional. Site Memorial da América Latina. Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664. Tel.: (11) 3823 4600. Terça a domingo, das 9h às 18h (Biblioteca: Segunda a sexta, das 9h às 18h; Sábados, das 9h às 15h). Entrada gratuita. Metrô: Estação Palmeiras – Barra Funda (Linha 3/Vermelha); Ônibus: Terminal Barra Funda

Praça das Artes Foto: Divulgação

Praça das Artes
Foto: Divulgação

Praça das Artes

Ganhador de diversos prêmios de arquitetura, esse complexo cultural teve a sua primeira etapa inaugurada em 2012, já o tornando um dos protagonistas da revitalização do centro da cidade por se integrar com o espaço público através da sua impressionante estrutura e das atividades que promove. Funciona como uma extensão do vizinho Theatro Municipal, sediando instituições como a Escola de Dança e a Escola Municipal de Música, tanto em suas novas instalações quanto no antigo edifício tombado do Conservatório Dramático e Musical de São Paulo, de 1886, que integra o conjunto. Arquitetos: escritório Brasil Arquitetura. Site Praça das Artes. Av. São João, 281. Tel.: (11) 3053 2092/2093. Visitas guiadas: Terça a sexta às 11h, 15h e 17h; Sábados e feriados às 11h, 12h, 14h e 15h (inscrições no local a partir das 10h para todos os horários do dia); Visitas agendadas para grupos: Terça a quinta às 10h e 13h30, sexta às 10h e sábado às 13h (agendamento pelo telefone ou email: tmeducativo@theatromunicipal.org.br); Visitas em inglês: Terça a sexta às 11h e 17h, e sábado às 12h. Entrada gratuita. Metrô: Estações São Bento (Linha 1/Azul) e Anhangabaú (Linha 3/Vermelha)


Formado em Arquitetura e Patrimônio Urbano, Flavio tem um interesse especial por cidades e suas histórias. Conhecer e divulgar as atrações e a cultura de um lugar, fazendo com que os seus moradores e visitantes se apropriem, cuidem e desfrutem dele, é um dos seus principais sonhos/objetivos.

Comments

  1. Adorei as dicas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *