Escultura O Tango de Robeto Vivas
Foto: Caio Pimenta/SPTuris Na natureza

Para quem mora na região central da cidade de São Paulo – ou pretende ir – é quase que uma miragem encontrar entres tantos arranha-céus, buzinas e pessoas sempre apressadas para alguma coisa, um local tranquilo para recarregar energias, estreitar as relações e contemplar (sim, acredite) a natureza. Localizado no coração da Avenida Angélica, em Higienópolis, está o Parque Buenos Aires. Cortando a caótica avenida, ele destoa entre toda arquitetura moderna e alguns casarões resistentes ao tempo e, retorna às origens (contarei melhor para vocês essa parte logo abaixo) apresentando um local afortunado de fauna e flora.

Com 25.000 m² a área é muito bem aproveitada para agradar o diversificado público paulistano, oferecendo atividades físicas e apresentações culturais.

Listo aqui 5 motivos para vocês conhecerem o Parque Bueno Aires.

Fazer um piquenique: sobre uma bela grama limpíssima. Pode estender sua toalha mais bonita e aproveitar o sol ou a sombra, pois, a área é completamente ajardinada com uma vegetação que vai desde pequenos arbustos a árvores de 40 metros de altura.

 

Monumento Mãe de Caetano Fraccarolli Foto: Vilma Alcântara

Monumento Mãe de Caetano Fraccarolli
Foto: Vilma Alcântara

 

 Inspirar: Para os amantes da literatura e artes plásticas passear por esse parque é como andar em um museu a céu aberto e ter livros diversos ao alcance das mãos.

Por toda área é possível encontrar várias esculturas esculpidas em bronze, granito e mármore, inclusive, uma cópia de uma escultura do Lasar Segall.

Uma colorida e “aquecida” geladeira guarda livros doados pelos frequentadores. É só escolher um e encontrar seu local preferido e, boa leitura!

A geladeira colorida guarda livros para os frequentadores do parque Foto: Vilma Alcântara

A geladeira colorida guarda livros para os frequentadores do parque
Foto: Vilma Alcântara [one_half] Contents [/one_half]

Brincar com as crianças:Como não pode (e nem deve) deixar de ser, as crianças ocupam alguns espaços muito bem equipados e significativos para interações entre si e os pais, ou responsáveis. Existe uma área chamada “Praça das Mães” com um belo monumento chamado “Mãe” todo em mármore. Por ali, sobre muitas cangas estendidas poderão ver crianças dando seus primeiros passos, engatinhando, tomando banho de sol e os responsáveis em longos papos como numa simples comunidade. O playground tem vários brinquedos sobre chão de terra (vai ter roupa suja sim!). Ah, a segurança é total. Pequenos portões asseguram que as crianças não saiam por aí e cachorros nessa área não pode.

Espaço para as crianças brincarem Foto: Vilma Alcântara

Espaço para as crianças brincarem
Foto: Vilma Alcântara.

Soltar os cachorros: Os cachorrinhos têm uma área especial, Parque dos Cães ou “cercadinho”, para eles serem soltos e poderem correr e brincar com outros – em todo parque, exceto, as duas áreas acima, poderá caminhar com seu amigo na coleira.Cercado por arame e com portãozinho, também, tem bebedouro disponível. 

Emigrantes de Lasar Segall Foto: Vilma Alcântara

Emigrantes de Lasar Segall
Foto: Vilma Alcântara

Contemplar: Por último e não menos importante: fauna e flora que existe. Como já citado acima a vegetação é vasta e, asseguro ser a protagonista de todo o parque. Cerca de 73 espécies de vegetação catalogadas, inclusive, o pau-brasil. É bem na verdade uma disputa acirrada entre o barulho urbano e as dezenas de pássaros que habitam ali. Mas, posso assegurar que ao entrar, o canto desses pássaros abafa qualquer interferência externa.

Prepare a câmera que a qualquer momento poderá avistar belas aves como: sábias, pardais, periquitos e pica-paus. Infelizmente, quando fui eles estavam “tímidos”, sem nenhum registro, apenas o canto.

 

O parque é muito arborizado e tem pequenas trilhas Foto: Vilma Alcântara

O parque é muito arborizado e tem pequenas trilhas
Foto: Vilma Alcântara

 História do Parque Buenos Aires

Lá no começo do texto mencionei que o parque com sua variedade de fauna e flora voltara às origens, lembram?

O bairro onde ele está localizado no final do século XIX era uma pacata chácara e foi transformada por dois empresários em loteamentos afim de atrair a nova elite paulista. A primeira ação dos empresários foi traçar essa chácara para ser uma via, hoje, a conhecidíssima Avenida Angélica. Realizaram também a priorização do saneamento e higiene doméstica: encanamento de esgoto e fornecimento de água. O primeiro bairro da capital a ter, por isso, chamado Higienópolis.

Em 1912 a Prefeitura de São Paulo desapropriou um terreno que, em 1913, passou a se chamar Praça Higienópolis e, posteriormente, Praça Buenos Aires.

Projetada pelo paisagista francês Bouvard, a praça tornou-se oficialmente parque apenas em 1987.

Não é permitido: Andar de bicicleta e skate. Não possui lanchonete.

Alamedas para fazer caminhadas Foto: Caio Pimenta/SPTuris

Alamedas para fazer caminhadas
Foto: Caio Pimenta/SPTuris

Site Parque Buenos Aires Avenida Angélica, s/n altura do número 1500. Bairro Higienópolis. Horário de funcionamento: Segunda à segunda, das 06h às 22h. Tel.: (11) 3666-8032

Como chegar (linhas de ônibus):

Linhas de ônibus:

407M-10 – Vila Monumento – Vila Madalena

508L-10 – Term. Princ. Isabel – Aclimação (Circ.)

719P-10 – Pinheiros – Metrô Armênia

719R-10 – Rio Pequeno – Metro Barra Funda

978L-10 – T.T.V.N. Cachoeirinha – Term. Princ. Isabel

Foto destaque: Escultura O Tango de Roberto Vivas. Caio Pimenta/SPTuris

Logotipo do bairro Higienópolis criado pelo Identidade SP. Para saber mais sobre a história do bairro, clique aqui: http://identidadesp.com.br/higienopolis/

identidade-sp-bairro-higienopolis-centro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Meu nome é Vilma. Sou paulistana e não vivo uma relação de amor e ódio com a cidade: sou uma apaixonada assumida por São Paulo. Formada em Letras (Português e Inglês) pela UNIP, mas sempre trabalhei no meio corporativo. Meu interesse por eventos culturais começou bem cedo. Vizinha do Centro Cultural São Paulo, todos os dias, depois da aula, passava tardes inteiras por ali aproveitando tudo o que podia. Como sou uma pessoa de múltiplos interesses – música, literatura, teatro, cinema, passeios ao ar livre, cultura pop, em geral, e gastar pouco e me divertir muito – logo virei ponto focal entre amigos e colegas de trabalho sobre o que de melhor estava acontecendo na cidade e, aí está uma das outras coisas que adoro: compartilhar conhecimento. Uma outra é criar roteiros: seja de passeios pela cidade, seja para uma viagem de muitos dias. Desejo disseminar o que há acontece na cidade para além dos segundos cadernos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *