Acervo de arte da Casa Guilherme de Almeida Foto: Elias Gomes Agenda Cultural / É Grátis

A história de São Paulo já foi marcada por diversos arquitetos, pintores, cantores, escultores e outros artistas. E, além de suas obras, esses paulistanos (ou paulistanos de coração) ilustres deixaram de herança para a cidade suas casas. Construções históricas, do início do século XX, que carregam um pouco da vida e da memória desses artistas. Transformadas em museu, em fundações, ou mesmo preservadas como casas, conheça cinco desses redutos de memória e cultura da cidade de São Paulo:

Casa de Vidro

A Casa de Vidro é um marco arquitetônico brasileiro, onde já foi a residência da arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi, responsável por projetar o Masp. A casa, que fica na região do Morumbi, possui um jardim de 7mil m², com uma floresta particular e trilhas decoradas com pedras, cuidadosamente planejado e plantado pela própria Lina.

Casa de vidro Lina Bo Bardi Foto: Divulgação

Casa de vidro Lina Bo Bardi
Foto: Divulgação

Casa de vidro, de Lina Bo Bardi. Foto: divulgação. 

Depois de ser ponto de encontro de artistas como Max Bill, Steinberg e Glauber Rocha e presenciar discussões culturais, ideológicas e sociais, a Casa hoje abriga a sede do Instituto Lina Bo Bardi, que tem como objetivo promover e divulgar a arquitetura, design, urbanismo e arte popular brasileira, mantendo vivo o pensamento e obra de Lina Bo Bardi e Pietro Maria Bardi, seu marido. As visitas à Casa de Vidro são feitas pela Ação Educativa com agendamento prévio pelo e-mail  educativo@institutobardi.com.br. O serviço é gratuito e as visitas tem duração de até 1h30.

Casa modernista

Projetada em 1927 por Gregori Warchavchik, a casa modernista foi o lar do arquiteto após seu casamento com Mina Klabin, filha de um industrial da elite paulistana. Sua estrutura não possui ornamentação e é composta por pisos brancos e lisos, o que causou grande repercussão entre a burguesia paulistana da época. Enquanto os burgueses viviam um estilo de vida inspirado na belle époque de Paris, os artistas buscavam a criação de uma identidade nacional diferenciada, que refletiu no estilo da construção, na contramão do luxo comum da época.

modernista8Casa modernista. Foto: divulgação. 

O projeto era tão inovador que, para conseguir a aprovação de construção da Prefeitura, o arquiteto apresentou um desenho diferente, repleto de detalhamentos na fachada. Ao concluir a obra, Warchavchik alegou que não possuía recursos para completá-la.

Um dos destaques da casa é o jardim, projetado por Mina Klabin, com uso pioneiro de espécies tropicais. Rente ao muro, Mina plantou um bosque de eucaliptos, durante a Segunda Guerra Mundial, para evitar contato com o prédio que era construído em frente, o hospital nipo-brasileiro (já que judeus e japoneses estavam em lados opostos na guerra).

Fundação Ema Klabin

O imóvel onde hoje está situada a Fundação Cultural Ema Gordon Klabin situa-se em um terreno de quase 4 mil metros quadrados, no Jardim Europa. A casa, com cerca de 900 m² de área foi projetada pelo engenheiro-arquiteto Alfredo Ernesto Becker, em meados dos anos 1950, para abrigar a crescente coleção reunida por Ema Klabin. A construção mistura elementos clássicos com elementos modernos, inspirados no Palácio de Sanssouci, em Postdam, na Alemanha.

Um dos ambientes da Fundação Ema Klabin Foto: Divulgação

Um dos ambientes da Fundação Ema Klabin
Foto: Divulgação

Fundação Ema Klabin. Foto: divulgação. 

Os visitantes poderão conhecer os ambientes da casa, divididos em vestíbulo e hall, quarto principal, salão, sala de jantar, biblioteca, sala de música, quarto de hóspedes e galeria, que foram preenchidos com cerca de 1.500 peças dos mais diversos períodos, técnicas e procedências.

Casa Mário de Andrade

Desde 1990 a casa em que Mário de Andrade viveu de 1921 até sua morte, em 1945, é aberta ao público e abriga a Oficina da Palavra Casa Mário de Andrade. Fechada alguns meses para reforma, a casa voltou a ser aberta em maio de 2015. Após a reforma, a casa ganhou ares de museu e também um novo nome: Oficina Cultural Casa Mário de Andrade, onde ainda são ministrados os cursos nas áreas de literatura e texto.

O piano, localizado na biblioteca, era onde Mario realizada aulas de música Foto: Roteiros Literários

O piano, localizado na biblioteca, era onde Mario realizada aulas de música Foto: Roteiros Literários

A casa agora faz parte do projetos Oficinas Culturais, do estado de São Paulo, mas quem optar por participar de cursos ou exposições ali, tem a oportunidade de imaginar como era tudo no tempo em que o escritor vivia por ali e como era quando ele recebia, às terças de 1922, os outros quatro integrantes do Grupo dos Cinco: Oswald de Andrade, Tarsila do Amaral, Anita Malfatti e Menotti del Pichia.

Museu Lasar Segall

Lasar Segall foi um artista Lituano, que se naturalizou brasileiro em 1927, após morar quatro anos no país. Passando pelo Rio de Janeiro e São Paulo, sua última residência foi a da Rua Afonso Celso, onde hoje está localizado o Museu Lasar Segall.

A antiga residência e ateliê do artista foi projetada pelo arquiteto russo Gregori Warchavchik, em 1932 e após seu falecimento, foi transformada em um museu pela sua viúva Jenny Klabin Segall e seus filhos, Mauricio Segall e Oscar Klabin.

Fachada Museu Lasar Segall

Fachada Museu Lasar Segall

Museu Lasar Segall. Foto: divulgação.

A casa abriga um acervo de 3.119 trabalhos originais de Segall, incluindo esculturas, desenhos, gravuras e pinturas. Há também um acervo fotográfico composto por cerca de 5 mil itens, entre positivos e negativos, um conjunto de cerca de 8 mil documentos reunidos pelo artista e uma biblioteca, que também pode ser visitada perante agendamento. Os visitantes também podem conhecer o mobiliário projetado pelo próprio Lasar Segall para sua residência, em 1932. Hoje, esses itens são usados como mobiliário da Biblioteca Jenny Klabin Segall.

A casa-museu Guilherme de Almeida: arte, literatura e cinema. Foto: Elias Gomes

A casa-museu Guilherme de Almeida: arte, literatura e cinema. Foto: Elias Gomes

Casa Guilherme de Almeida

A casa-museu é um belo passeio para quem gosta de cultura, arte e literatura. O acervo da Casa Guilherme de Almeida tem várias obras de arte oferecidas ao poeta pelos principais artistas do modernismo brasileiro, como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Emiliano di Cavalcanti, Lasar Segall e Victor Brecheret. Um dos destaques é a biblioteca do escritor, a hemeroteca e o arquivo fotográfico. O mobiliário e os objetos decorativos, cuidadosa e seletivamente recolhidos por Guilherme e sua esposa, Baby de Almeida, compõem, também, um conjunto valioso. No museu encontram-se, ainda, vestígios de um movimento da história de São Paulo em que a figura do poeta obteve grande destaque: a Revolução Constitucionalista de 1932.

Serviço:

Casa de Vidro
End.: Rua General Almério de Moura, 200 – Morumbi – zona Oeste – São Paulo.
É necessário realizar um agendamento para visitas, através do e-maileducativo@institutobardi.com.br.
Grátis. institutobardi.com.br

Casa Modernista
End.: Rua Santa Cruz, 325 – Vila Mariana – zona Sul – São Paulo.
Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 9h às 17h
Tel.: (11) 5083-3232 Grátis. www.museudacidade.sp.gov.br

Fundação Ema Klabin
End.: Rua Portugal, 43 – Jardim Europa – zona Oeste – São Paulo.
Horário de Funcionamento: sextas, das 14h às 17h e sábados, das 14h às 16h. Para visitação em outros dias e horários é necessário agendamento através do e-mail agendamento@emaklabin.org.br. Tel.: (11) 3897- 3232
emaklabin.org.br

Casa Mário de Andrade
End.: Rua Lopes Chaves, 546 – Barra Funda – zona Oeste – São Paulo.
Horário: terça a sábado das 10h às 18h

Tel.: (11) 3666-5803 www.oficinasculturais.org.br

Museu Lasar Segall
End.: Rua Berta, 111 – Vila Mariana – zona Sul – São Paulo.
Horário de funcionamento: de quarta à segunda, das 11h às 19h. Tel.: (11) 2159-0400
Grátis. www.museusegall.org.br

Casa Guilherme de Almeida

Rua Macapa, 187, Sumaré.  Contato para agendamento de visitas: cintiaandrade@casaguilhermedealmeida.org.br

Visitação: de terça-feira a domingo, das 10h às 18h.

Telefone: (11) 3672-1391 www.casaguilhermedealmeida.org.br

Post original publicado em: http://www.cidadedesaopaulo.com/sp/br/noticias/4974-casas-para-visitacao


Meu nome é Patrícia Ribeiro. Sou formada pela Faculdade Cásper Líbero e já trabalhei como editora e repórter em revistas, jornais, sites e em assessoria de imprensa. Adoro contar histórias, sou curiosa e gosto de ouvir as pessoas. Como gosto de viajar, acabei escrevendo muitas reportagens de viagens e turismo e produzi guias de viagem nacionais e internacionais. Adoro a vida cultural da cidade e descobrir lugares novos. Resolvi aliar o que eu gosto do que faço no meu tempo livre neste blog e compartilhar minhas dicas com moradores e visitantes.

Comments

  1. […] Transformadas em museu, em fundações, ou mesmo preservadas como casas, conheça cinco desses redutos de memória e cultura da cidade de São Paulo: passeiosbaratosemsp.com.br/conheca-algumas-casas-museus-que-ficaram-famosas-em-sao-paulo. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *