Conheça várias culturas do Brasil e do mundo sem sair de São Paulo Agenda Cultural / Compras / É Grátis / Onde comer / Sem categoria

São Paulo foi formada por imigrantes de várias partes do Brasil e do mundo. As influências estão por toda a parte, seja na gastronomia, religião, festas,  associações e centros culturais espalhados pela cidade. Na metrópole temos a chance de conhecer várias culturas e saber mais sobre estes povos que habitam nossa cidade e faz com que ela seja multicultural e vibrante.  O blog Passeios Baratos em SP fez uma listinha de lugares bacanas para conhecer.

CTN promove shows de forró e tem vários restaurantes de comida nordestina Foto: Patrícia Ribeiro/Passeios Baratos em SP

CTN promove shows de forró e tem vários restaurantes de comida nordestina
Foto: Patrícia Ribeiro/Passeios Baratos em SP

CTN – Centro de Tradições Nordestinas

Dia do Nordestino é amanhã, dia 8,  o CTN promoverá uma apresentação da bateria da escola de samba Dragões da Real que compôs o  enredo sobre 70 anos de composição da música Asa Branca de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira.  Outros artistas também vão se apresentar durante o dia.Programação completa, dia 8: 14h – Exposição de Cordel, 13h – Feeh Silva, 15h30 – Trio Cultura Brasileira, 18h – Wesley dos Teclados, 19h30 – Zezinho Barros, 21h – Forró 100 preconceito, Dia 9 – Domingo14h – Exposição de Cordel, 13h – Juarez de Carnaíba,  14h30 – Trio Marron, 18H – Orquestra Bachiana Filarmônica do SESI-SP. A primeira vez que pisei no CTN me senti teletransportada para Fortaleza, João Pessoa ou qualquer outra capital do nordeste. A decoração, o clima, a comida, as pessoas, tudo remetia ao nordeste.  Se não fosse pelo friozinho, podia dizer que estava numa destas capitais. A decoração da primeira parte do espaço foi inspirada no Pelourinho e Olinda com seus casarões históricos coloridos. Construído num enorme galpão, o CTN funciona há 25 anos e é aqui é onde os nordestinos vem matar a saudade de casa, comer a boa comida nordestina e dançar ao som das bandas de forró. A maioria das bandas que lá se apresenta é de forró eletrônico. Eventualmente tem shows de forró pé-de-serra. No dia que eu fui se apresentaram Bicho de Pé e Falamansa. A pista fica no centro e ao redor ficam os restaurantes, cada um representando um estado nordestino e que lembram guichê de uma rodoviária. No cardápio buchada, escondidinho, baião de dois, moqueca de peixe,  carne de sol com feijão de corda, entre outras delícias. Se não tiver acostumado, é melhor comer pouco. Vale a pena conhecer este pedacinho do nordeste em plena zona norte de São Paulo. Site CTN. Rua Jacofer, 615 – Limão, tel.(11) 3488-9400

Feira-Kantuta7-Passeios-Baratos-em-SP

Feira Kantuta

Se quiser fazer uma viagem à Bolívia sem sair de São Paulo lugar é a Feira Kantuta que acontece todos os domingos na zona norte da cidade. São diversas barracas que se espalham pela praça Kantuta e pelas ruas adjacentes, e que oferecem uma grande variedade de produtos da Bolívia, como artigos de decoração, brinquedos e ingredientes culinários. Há também diversas barracas que vendem cartões de telefone para ligações internacionais. Há também muitos lugares para comer, tanto opções mais simples, como as saltenhas, as empanadas e as salchipapas (batatas fritas com salsicha), quanto pratos mais completos, como o lechón (leitão assado) ou o chicharrón (porco frito servido com milho cozido). Leia post completo sobre este lugar clicando aqui. Praça Kantuta. A praça está localizada a cerca de 700 metros da Estação Armênia, na Linha Azul do Metrô. Use a saída da estação que dá acesso à rua Pedro Vicente, e caminhe por ela até chegar à praça

Museu da Imigração

Aqui as paredes respiram história. Seus ambientes recriam a casa onde os imigrantes eram acolhidos. A maioria veio da Europa e Japão, fugindo da miséria e das guerras.  Mas o Museu da Imigração acolheu povos de todo o mundo. Visitar o Museu da Imigração é aprofundar-se sobre a história de São Paulo e o (seu) passado, caso seja descendente de imigrantes que vieram para o Brasil no final do século XIX e início do século XX.  É um passeio imperdível que você deve fazer, de preferência, com seus pais e avós. Tenho certeza que você e sua família vão se emocionar. Ao todo, são oito salas, em que o visitante percorre e viaja pelo tempo e espaço através dos sons, fotos e objetos. A coleção do Museu da Imigração é composta por milhares de itens como máquinas de costura, vestuário, móveis, utensílios domésticos, câmeras fotográficas, entre outros, doados por imigrantes e seus descendentes. Todos os anos acontece a Festa do Imigrante. Veja post completo aqui. Site Museu da Imigração. Rua Visconde de Parnaíba, 1316, Mooca, metrô Bresser-Mooca. Tel.: (11) 2692-1866. O horário de funcionamento é de terça a sábado, das 9h às 17h, e aos domingos e feriados das 10h às 17h. R$ 6 e grátis aos sábados.

O Japão é aqui. Espaço zen no Parque do Ibirapuera

O Japão é aqui. Espaço zen no Parque do Ibirapuera

Pavilhão Japonês

O lugar fica dentro do Parque do Ibirapuera, um verdadeiro oásis oriental com lago de carpas, os belos jardins ornados com obras de arte, as árvores em miniatura (com alguns exemplares com mais de 80 anos) e arranjos florais. O jardim foi inspirado nos tradicionais conceitos japoneses, e reúne variadas plantas e flores típicas. Tem também um local para a prática da cerimônia do chá, um lugar de que exala simplicidade e atmosfera zen, você até esquece que está no Parque do Ibirapuera. Aberto às quartas, sábados e domingos (inclusive durante o carnaval). Sábado, às 15h e domingo, às 11h, concerto de música clássica japonesa. R$ 5 a R$ 10 (grátis para crianças até 4 anos e idosos acima de 65 anos). Confira o site aqui.

O espaço Navio Negreiro impressiona Foto: Patrícia Ribeiro/Passeios Baratos em SP

O espaço Navio Negreiro impressiona
Foto: Patrícia Ribeiro/Passeios Baratos em SP

Museu Afro Brasil

Quem passa em frente, não imagina o tamanho do lugar nem a quantidade obras de arte que o museu abriga. Inaugurado em 2004, a partir da coleção particular do Diretor Curador Emanoel Araujo, o Museu Afro-Brasil fica em um pavilhão de 11 mil m2 dividido em três pisos, há exposições permanentes e temporárias que valorizam a influência afro-brasileira em todos os aspectos da construção da identidade brasileira. Atualmente, está divido em 6 núcleos: África: Diversidade e Permanência, Trabalho e Escravidão, As Religiões Afro-Brasileiras, O Sagrado e o Profano, História e Memória e Artes Plásticas: a Mão Afro Brasileira. Cada andar, para mim, foi uma surpresa. O acervo vai muito além das religiões afro-brasileiras. A história, arte, escravidão, música, literatura, personalidades, adereços, móveis, esculturas, instalações estão espalhados nos três andares.  É claro que não podiam faltar obras do artista plástico argentino Carybé e do fotógrafo e etnólogo franco-brasileiro Pierre Verger. Site Museu Afro Brasil  Av. Pedro Alvares Cabral, s/n – Parque Ibirapuera – próximo ao Portão 10 Tel: (11) 3320-8900 Horário de Funcionamento  3ª feira a domingo, das 10h às 17h. R$ 6 e R$ 3 (meia entrada). Grátis aos sábados.  O agendamento deverá ser solicitado sempre pelo e-mail:agendamento@museuafrobrasil.org.br

 

Escadaria do Bixiga

Escadaria do Bixiga

Bixiga

O bairro foi formado por descendentes dos quilombos, por imigrantes italianos recém-chegados ao Brasil, depois vieram os nordestinos e é também é reduto da escola de samba Vai-Vai e blocos carnavalescos como o bloco dos Esfarrapados. Apresenta uma diversidade inacreditável e isso se deve ao fato de ser um dos bairros mais boêmios e, ao mesmo tempo, mais religiosos da capital. Aqui acontece uma das festividades mais importantes de São Paulo, a Festa da Achiropita, em agosto, que atrai multidões. Ainda abriga diversos casarões históricos, teatros, bares e restaurantes.  Aos domingos, acontece a Feira de Antiguidades da praça Dom Orione onde está o busto de Adoniran Barbosa, ilustre frequentador do bairro. As melhores cantinas italianas concentram-se na rua 13 de maio, rua Conselheiro Ramalho e av. Rui Barbosa onde se provar massas artesanais.  O blog Passeios Baratos em SP promove walking tour pelo bairro com um guia que conta a história e curiosidades do bairro. O próximo será dia 6 de novembro. Clique aqui para saber mais.

Memorial da América Latina Foto: Dani Agostini

Memorial da América Latina
Foto: Dani Agostini

Memorial da América Latina

Na Praça Cívica, encontra-se a escultura em concreto de Oscar Niemeyer, representando uma mão aberta, em posição vertical, com o mapa da América Latina pintado em vermelho na palma. O memorial possui um acervo permanente de obras de arte, exibidas ao longo da esplanada e nos espaços internos, e conta com um centro de documentação de arte popular latino-americana. O pavilhão de Criatividade Darcy Ribeiro tem várias obras de artesanato de artistas anônimos representando todos os países da  América latina e é muito interessante, inclusive tem uma maquete com o mapa da América latina em alto relevo no chão de vidro. A biblioteca possui cerca de 30 mil volumes, além de seção de música e imagens. A Biblioteca Latino-Americana Vitor Civita lança um novo serviço para ampliar e facilitar o acesso à leitura de pessoas com deficiência visual, idosos e de baixa escolaridade: livros do seu acervo digitalizados em áudio.  Os painéis Tiradentes, de Candido Portinari, e Povos Pré-Colombianos, Povos Afros, Conquistadores, Imigrantes, Libertadores, Edificadores – dos artistas Poty e Carybé – ocupam o espaço majestoso do Salão de Atos e contam um pouco da história da América Latina. Site Memorial da América Latina, metrô Barra Funda.

Memorial da Cultura Judaica Foto: Lilian Knobel

Memorial da Cultura Judaica
Foto: Lilian Knobel

Memorial da Imigração Judaica

Na primeira sinagoga do Estado de S. Paulo, a Kehilat Israel, está localizado o Museu da Imigração Judaica onde, por quatro andares, o Memorial conta sobre a cultura judaica e sua participação e contribuição para o desenvolvimento do Brasil.  Reserve um tempo visitá-lo com calma, o Memorial possui acervos interativos e físicos, como: louças, vestuários, textos e objetos sagrados, escrituras, depoimentos de imigrantes (inclusive, personalidades famosas), contratos de casamento, referências ao cuidado com a comida para os judeus, que há um simbolismo espiritual. O Memorial possui exposição permanente e temporárias e, também, é possível visitas monitoradas para escolas. Os andares são separados por temas: Onde estamos; O que mantivemos; O que construímos e, para o próximo ano, De Onde Viemos. Site Memorial da Imigração Judaica. R. da Graça, 160 – Bom Retiro. Segunda a sexta-feira, das 10h às 17h. Grátis. Tel.: (11) 3331-4507.  Metrô Tiradentes.

Instituto Goethe

o Goethe-Institut São Paulo organiza no dia 8 de outubro de 2016 (sábado), a partir das 17h30, o Dia das Portas Abertas, evento que contará com aulas experimentais de alemão, DJ, comidas e bebidas do país e outras atrações. O evento é aberto ao público, que poderá também participar de sorteios de bolsas de alemão. Para além de uma escola do idioma alemão, o Instituto Goethe abre as portas para disseminar a cultura alemã por meio de eventos culturais, que incluem: exposições, shows, mostras de cinema, seminários e encontros para reflexões culturais nesse intercâmbio entre Brasil e Alemanha. Para quem está em São Paulo, a unidade fica em Pinheiros com entrada franca para os eventos. Site Instituto Goethe  Lisboa, 974 – Pinheiros – São Paulo. Horário de funcionamento: verificar o evento escolhido.

Fachada do Centro Cultural Coreano Wikimedia

Fachada do Centro Cultural Coreano
Wikimedia

Centro Cultural Coreano

Quer conhecer mais sobre a cultura coreana além do astro pop, que fez o mundo dançar Gangnam Style? No Centro Cultural Coreano é possível. Aberto ao público para visitação e participação nos eventos, o espaço foi projetado para exposições, apresentações, aulas de Tae-kwon-do. Possui um teatro, sala de seminário para palestras que abordam vários aspectos culturais, e o salão da cozinha aonde acontecem eventos gastronômicos com aulas experimentais e, aspectos importantes da relação coreana com o alimento, onde acreditam que a melhora da saúde está intrinsicamente ligada ao alimento, ou seja, remédios apenas se alimentação feita não falhar. Site Centro Cultural Coreano. Al. Barros, 192 – Santa Cecília – SP. Segunda à sexta, das 10h às 12h e 13h às 17h. Sábado das 10h às 13h e 14h às 17h. Grátis.

As duas mortes de RogerCasement Divulgação

As duas mortes de Roger Casement
Divulgação

Teatro Aliança Francesa

O CCAF já virou referência cinematográfica para os cinéfilos, que esperam todo ano pelo Festival Varilux de Cinema Francês, eu, particularmente, amo o cinema o francês desde ouvir o idioma, que acho belíssimo, até os temas sempre muito atuais e sem censuras. Na unidade do centro, O CCAF mantem um teatro que já recebeu grandes nomes da dramaturgia, como Marília Pêra. Em cartaz a peça As duas mortes de Roger Casement. Confira horários e preços no site.  Dia 15 de outubro acontece o Festival da Canção Francesa, 19h, com entrada gratuita.A música e artes plásticas também têm seus espaços e sempre há exposições e festivais de músicas francesas. Todas as unidades possuem a Café Thé Ria, sem baguetes. Uma pena, seria incrível sair na rua com uma baguete debaixo do braço como um típico francês. Para ficar por dentro dos eventos, acesse: Site Aliança Francesa.  R. General Jardim, 182 – Centro. Segunda a à sexta das 8h às 21h, sábado das 8h30 às 13h30.

Fachada do Instituto Cervantes na av. Paulista Divulgação

Fachada do Instituto Cervantes na av. Paulista
Divulgação

Instituto Cervantes

Quem não conhece o Dom Quixote, o herói sonhador? Escrito por Miguel de Cervantes talvez seja o mais conhecido personagem da língua espanhola. Durante um tempo, eu mergulhei na literatura latina e, conheci outros grandes nomes, como: Maria Vargas Llosa, Julio Cortázar, Gabriel Garcia Marquez. Ler esses livros era como uma viagem. Imaginar as calles, os hábitos, alimentação. Conhecer mais sobre essa cultura ficou mais fácil com a vasta programação oferecida ao público no Instituto Cervantes e, é logo ali no final da Av. Paulista. Projeções de cinema, exposições, concertos, lançamentos de livros, saraus. Sempre com temas afim de estreitar laços culturais. A programação de setembro está nesse link e por esses canais: telefone para informação é o (11) 3897 9600 ou e-mail informasao@cervantes.es Av. Paulista, 2439 / térreo – Metrô Consolação. Segunda à sexta das 9h às 21h30. Sábados de 9h a 15h. Grátis.

Bibliaspa Divulgação

Bibliaspa
Divulgação

BibliASPA – Biblioteca e Centro de Pesquisa América do Sul-Países Árabes-África

Afim de desmistificar os estereótipos culturais e representações políticas do Mundo Árabe, a África e América do Sul, a BibliASPA promove diversos eventos e cursos acerca da cultura desses locais, como: literatura, história, arqueologia, caligrafia, exposições, festivais de arte, mostras de cinema e teatro, saraus, etc. Além desse rico trabalho cultural, há um trabalho para acolhimento e formação para refugiados e imigrantes. Nesse passeio, certamente, qualquer pré-conceito que tenhamos poderá ser desfeito se emergimos no objetivo do local, que é o respeito mútuo e a diversidade. Escolha aqui um dos projetos ou escolha todos, afinal, são todos muito interessantes. Baronesa de Itu, 639 – Santa Cecília – Terça à quinta, das 10h às 21h30; Sexta e sábado, das 10h às 19h. Grátis.

LIBERDADE – SÃO PAULO (SP) – 29.11.2013 – VISTA DA PRAÇA DA LIBERDADE, NO BAIRRO DA LIBERDADE. FOTO: JOSE CORDEIRO/SPTURIS

LIBERDADE – SÃO PAULO (SP) – 29.11.2013 – VISTA DA PRAÇA DA LIBERDADE, NO BAIRRO DA LIBERDADE. FOTO: JOSE CORDEIRO/SPTURIS

Bairro da Liberdade/ Museu Histórico da Imigração Japonesa

Não podia faltar essa referência, vamos combinar? Um dos lugares mais visitados nos finais de semana, certamente, é o bairro da Liberdade. Não importa se faça chuva, se faça sol, dar uma voltinha pelas ruas, pela praça, comer em pé yakissoba e tempurá faz parte e ninguém reclama na famosíssima Feirinha da Liberdade, aos domingos. Reduto da cultura japonesa todo mundo que vem de outras cidades ou estados, o escolhe como primeiro lugar para conhecer. A arquitetura do local, com as tradicionais lanternas japonesas dão todo um charme, principalmente, à noite. Os painéis inscritos em ideogramas porque muitos ali falam apenas sua língua materna, quase se esquece que está no Brasil. Restaurantes e docerias típicas, mercados que vendem comida japonesa sempre muito mais em conta, roupas, louças e coisinhas para casa. Impossível sair com as mãos abanando. O bairro também abriga o Museu da Imigração Japonesa com objetos usados pelos imigrantes, escritos durante o desbravamento, documentos, fotos, jornais,  pinturas e livros.  Site Museu Histórico da Imigração Japonesa. Rua São Joaquim, 381, metrô São Joaquim.

Brooklin Fest celebra a cultura e gastronomia alemãs Foto: Divulgação

Brooklin Fest celebra a cultura e gastronomia alemãs
Foto: Divulgação

22ª Edição do BrooklinFest

Agora se você é do tipo que gosta de otimizar o tempo, a festa multicultural alemã BrooklinFest tem o seu perfil. O festival anual na zona sul de São Paulo reúne feira de artesanatos, grupos de danças folclóricas, apresentações de música, filmes ao ar livre, exposições, literatura, historiadores e pesquisadores da imigração alemã e, claro, um roteiro gastronômico com todas as delícias alemãs. Ah, sim, a parte multicultural será as ofertas de comidas brasileiras, espanholas, português, armênias, japonesas e chineses. Poderá comer uma bela paella ou acarajé com gelado chopp alemão. Prost! De 22 a 23 de outubro Local: Quadrilátero das Ruas Joaquim Nabuco, Barão do Triunfo, Princesa Isabel e Bernardino de Campos – Das 10h às 22h. Entrada gratuita. Site: http://www.aemb.org.br/

Nossa-Senhora-Achiropita-Visite-SP

43ª Festa de San Gennaro

A festa  italiana já tem 43 anos e é tradicional no bairro da Mooca, que recebeu muitos imigrantes da Itália. Comida típica italiana, massas, antepastos, fogazzas e música ao vivo. Rua San Gennaro, Mooca.  Site San Gennaro. Informações e reservas: Tel.: 3209-0089.Horário de atendimento: de segunda à sexta das 8:00hs às 17:00 hs. Sábado e domingo das 8:00 hs. 12:00 . de 10 de setembro a 9 de outubro. Sábados e domingos a partir das 18h.

Faltou algum lugar nesta lista? Comente aqui sobre algum lugar que conhece e gostaria que nós incluíssemos na lista.

Colaborou Patrícia Ribeiro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Meu nome é Vilma. Sou paulistana e não vivo uma relação de amor e ódio com a cidade: sou uma apaixonada assumida por São Paulo. Formada em Letras (Português e Inglês) pela UNIP, mas sempre trabalhei no meio corporativo. Meu interesse por eventos culturais começou bem cedo. Vizinha do Centro Cultural São Paulo, todos os dias, depois da aula, passava tardes inteiras por ali aproveitando tudo o que podia. Como sou uma pessoa de múltiplos interesses – música, literatura, teatro, cinema, passeios ao ar livre, cultura pop, em geral, e gastar pouco e me divertir muito – logo virei ponto focal entre amigos e colegas de trabalho sobre o que de melhor estava acontecendo na cidade e, aí está uma das outras coisas que adoro: compartilhar conhecimento. Uma outra é criar roteiros: seja de passeios pela cidade, seja para uma viagem de muitos dias. Desejo disseminar o que há acontece na cidade para além dos segundos cadernos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *