Campos de lavanda
Foto: banco de imagem bate e volta / Viagens por aí

Encrustada no Vale do Paraíba, Cunha é uma agradável surpresa, mas até janeiro de 2015 eu não conhecia. A cidade tem importância histórica porque foi palco de algumas batalhas durante a Revolução de 32.   Fui para lá para assistir a um festival de jazz na cidade e o final de semana superou minhas expectativas.

Vista da baía de Paraty e Angra dos Reis Foto: Sueli dos Santos

Vista da baía de Paraty e Angra dos Reis
Foto: Sueli dos Santos

Passeio para Cunha e lavandário dia 12/11

Cunha se destaca pelos vastos campos de plantação de lavandas,  totalizando 30 mil pés, produzindo flores e beleza o ano inteiro.Polo da produção de cerâmica artística com técnicas trazidas pela imigração japonesa, colocando a cidade em um patamar diferenciado na diversidade, qualidade e beleza de suas peças. O passeio inclui visita ao Lavandário, ateliê de cerâmicas com demonstração como se faz a cerâmica, city tour no centro histórico, Fazenda Aracatu e almoço.

Informações

Reservas: contato@passeiosbaratosemsp.com.br

R$ 195 por pessoa, R$ 190 (maiores de 60 anos) e R$ 185 (crianças até 12 anos)

Crianças até 3 anos viajando no colo não pagam

Pagamento via depósito ou doc

Enviar RG, CPF, data de nascimento, e-mail e telefone e enviaremos dados bancários.

A descoberta de Cunha

Você já foi surpreendido com a sensação de ter descoberto um lugar incrível? Pois é. Esse foi uma parte do sentimento que tive com a cidade. Afinal, nunca ouvi dizer que Cunha está na lista dos 10 lugares que devo visitar antes de morrer,portanto, sem muitas referências lá fui eu. Você pode pensar “é só uma cidade do interior e não deve ter nada demais: ar puro, tranquilidade, uma igreja e um coreto”. Então, Cunha tem isso e mais. Sim, a cidade fica  perto de Guaratinguetá e fica a 50 km de Paraty (RJ), mas não tem praias, fica na montanha. A cidade era a última parada dos tropeiros que percorriam a Estrada Real antes de chegar ao porto de Paraty.

Cunha está rodeada pelas montanhas da Serra do Mar e da Bocaina. Portanto, se você gosta de natureza e de um visual bonito esse é o lugar.  E ainda tem cachoeiras como a dos Pimentas e a do Desterro. Não visitei as cachoeiras, então não posso dar uma opinião experimental, mas as referências e indicações é de que são lindas e acesso fácil.

Serra da Bocaina Wikimedia commons

Aqui vale um alerta: Cunha é uma cidade em que as atrações naturais (cachoeiras, parques) são distantes do centro e não há transporte público, então o ideal é que você esteja de carro para aproveitar melhor. No Centro de Turismo da cidade você encontra mapas com as distâncias das atrações e passeios. Você só vai precisar de disposição. Também tem várias trilhas, algumas delas autoguiadas, ou seja, é possível fazer sozinho.

Uma opção bem bacana é o parque Estadual da Serra do Mar que preserva a riqueza da fauna e flora da Mata Atlântica. O parque tem três trilhas que percorrem o parque e suas cachoeiras. A trilha do rio Paraibuna é autoguiada, já as trilhas do rio Bonito e das Cachoeiras são acompanhadas por guias do próprio parque. O serviço é gratuito e deve ser agendado com antecedência.

Trilha da Cachoeira no Parque Serra do Mar - Núcleo Cunha Wikimedia Commons

Trilha da Cachoeira no Parque Serra do Mar – Núcleo Cunha
Wikimedia Commons

Agora, mesmo que você não seja esportista ou com espírito aventureiro tem uma coisa que é imprescindível fazer em Cunha: subir na Pedra Macela. De preferência em um dia claro para que você possa perder o fôlego com as montanhas e a visão das baías de Paraty e Angra dos Reis, a 1.850 metros de altitude. Não tem segredo pra chegar lá em cima percorrendo a trilha.  Você vai precisar de um pouco de fôlego porque há trechos íngremes. Tudo bem, você está passeando. Se você cansar, pare, aprecie o visual, tire fotos e não se esqueça de levar água e lanche. Vale muito a pena.

Trabalho artesanal de cerâmica

Essa é uma faceta interessante da cidade de Cunha que é um importante polo de arte cerâmica.  Aqueles vasos e pratos que você vê em lojas de decoração ou em exposições de arte podem ser de um dos ateliês da cidade. A qualidade artística dos ateliês espalhados pela cidade encanta a todos, com peças inspiradas em variadas influências desde a indígena-ibérica das paneleiras à oriental. Nesse cenário, percorrer os ateliês admirando a diversidade e singularidade do trabalho de cada artista permite o visitante observar e conhecer a individualidade de expressão e o estilo de cada artista. Abertos à visitação, os ateliês oferecem uma grande variedade de peças em cerâmica, seja pela originalidade ou por sua destinação funcional. O artista dá uma explicação sobre como funciona o processo, além de poder comprar uma peça exclusiva.

Cerâmica do Ateliê Suenaga & Jardineiro Foto: Divulgação

Cerâmica do Ateliê Suenaga & Jardineiro
Foto: Divulgação

Campos de lavanda

Quem nunca viu aquelas imagens da região da Provence, na França, e não se encantou com a plantação de lavandas? Você não precisa mais ir para outro continente para admirar as flores, em Cunha, existem dois lavandários. As cores em combinação com a vista das montanhas garantem lindas fotos. Em um deles, você pode ficar pra ver o por do sol;  o outro oferece a opção de sentar em um deck, tomar um café e contemplar os campos de lavanda.

Enfim, não tenho muito o hábito de querer voltar aos lugares, mas Cunha pede bis. Com certeza. Ainda mais agora que a cidade está sendo descoberta: já foi cenário de novela da Rede Globo e pela segunda vez, foi escolhida para integrar L’Étape Brasil by Le Tour de France, prova de ciclismo,  que estará no Brasil a partir de 18 de setembro. Em outubro, acontece Festival de Cerâmica. Há aberturas de fornada, queimas de raku, workshops, oficinas e exposição coletiva dos ceramistas.

Cão_Sorrindo_na_Serra_da_BocainaComo chegar:

Cunha está a 235 quilômetros de São Paulo.

Carro: pegue a SP-70 (Ayrton Senna e Carvalho Pinto), depois entre na BR-116 (Presidente Dutra) e por fim a SP-171 (Paulo Virgílio).

Ônibus: não há ônibus direto de São Paulo para Cunha. É necessário embarcar até a cidade de Guaratinguetá e lá, pegar outro ônibus até Cunha.  As empresas que vão para Guaratinguetá são Pássaro Marrom tel.: (11) 3775-3850 e Viação Cometa, tel.: (11) 2221-5618. Guaratinguetá/Cunha: Viação São José, tel.: (12) 3132-3666

Onde ficar e onde comer:

A cidade dispõe de muitas opções de hospedagem tanto na cidade quanto na zona rural, desde opções simples como mais sofisticadas. Há também vários restaurantes na cidade. O ideal é você consultar o site da prefeitura: www.cunha.sp.gov.br

Informações turísticas, dicas de passeios, eventos, hospedagem e gastronomia: http://cunhatur.com.br/

Vista da Pedra da Macela

Vista da Pedra da Macela Foto: Sueli dos Santos


Jornalista freelancer, com pós-graduação em comunicação organizacional, paulistana, ansiosa, gosta de tecnologia, de ler, de viajar,adora programas culturais, frequenta o Sesc etc. etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *