Exposição Frida e Eu, no Museu Histórico Nacional, centro do Rio de Janeiro, inauguração, foto de Daniela Dacorso Agenda Cultural / História e Arte

Começou hoje (11 de março), uma mostra exposição que vai encantar as crianças,  elas vão mergulhar no universo da pintora mexicana Frida Kahlo. Sucesso de público na França, México, Inglaterra e Rio de Janeiro, a exposição “Frida e eu” conta a história da pintora mexicana sob a ótica do universo infantil. Não se trata de uma exposição de obras do acervo de Frida, mas sim, de uma experiência interativa que permite aos visitantes se relacionarem com a arte e sentirem que museu também é lugar para as crianças. Às segundas, o ingresso é gratuito.

exposição Frida e Eu, foto de Daniela Dacorso

exposição Frida e Eu, foto de Daniela Dacorso

Nossa colaboradora Karina Leão do Blog da Lion foi na abertura para convidados e conta tudo.

A história de Frida Kahlo é levada com leveza para as crianças que podem experimentar a arte do ponto de vista da artista mexicana.

O encantamento acontece logo de início e os pequenos já se “apropriam” do espaço, experimentando todas as estações.

Podemos sentir um pouco o que Frida sentia, seja em uma cadeira que nos deixa em uma postura desalinhada, em uma réplica de sua cama adaptada para pintura ou ao ouvir os sons do jardim de sua casa.  Todas as peças da exposição são interativas e as crianças ficam livres para explorar.

As crianças menores, não vão entender todo aquele simbolismo, mas se divertem! E com certeza internalizam algumas informações que serão apresentadas posteriormente para surpresa e admiração dos pais.

Exposição Frida e Eu, foto de Daniela Dacorso

Exposição Frida e Eu, foto de Daniela Dacorso

Como é a exposição

Primeira artista latino-americana a ter um quadro vendido por um milhão de dólares, Frida Kahlo é mundialmente conhecida por sua arte repleta de cor e com uma pitada de agonia. A mostra é composta por seis eixos temáticos:

  • Frida e o autorretrato: A criança é convidada a criar a “sua” Casa Azul, conhecida residência onde a artista morou em diversas fases de sua vida.
  • Frida e Família: Duas estações que trazem à tona a árvore genealógica da pintora e como ela é formada, levando a criança a resgatar as suas origens. Na primeira delas, há figuras de rostos e imãs que podem ser colocados de acordo com a visão de cada criança, formando assim o que seria a ascendência de Frida. Na segunda, numa tela, os visitantes têm que identificar cada um dos familiares da artista, por meio de fotos.
  • Frida e a dor: Frida sofreu um grave acidente aos 18 anos, que a deixou presa à cama por muito tempo e marcou o início da sua relação com a pintura. Com um espelho no teto e um cavalete adaptado, a artista começou a pintar. Nesse ambiente, composto por cadeiras desconfortáveis, o visitante é convidado a se sentar em diferentes posições e a experimentar novos olhares e pontos de vista. Além disso, todos podem montar o quebra-cabeça de um esqueleto de espuma com as marcações dos principais pontos de dor espalhados pelo corpo da pintora. A estação propõe a discussão sobre a dor e os obstáculos que a vida impõe. Mostrando formas distintas de lidar com essas questões e apresentando novas perspectivas diante dos problemas.
  • Frida e a natureza: A artista viveu cercada de animais e plantas. Neste espaço, as crianças têm a oportunidade de identificar animais por meio de reprodução sonora, além de participar de um jogo interativo para descobrir seu “animal de alma”, segundo a tradição asteca.
  • Frida e Diego: Frida e Diego Rivera formaram um casal apaixonado, que tinha os mesmos interesses. Tinham muitos pontos em comum e também algumas diferenças notáveis entre eles: Diego tinha 20 anos, 20 centímetros e 20 quilos a mais que Frida. A ideia é promover a comparação, sempre de maneira lúdica, entre características físicas e o que gera essas diferenças.
  • Frida e Paris: A ‘mesa surrealista’ é a exploração daquele universo em que tudo parece meio “sem pé nem cabeça”. O quebra-cabeça pode ser montado da maneira tradicional, mas também é possível fazer surgir criaturas surreais ao trocar os pares e recombinar as peças.
  • Exposição Frida e Eu, foto de Daniela Dacorso

    Exposição Frida e Eu, foto de Daniela Dacorso

As sábados acontecerão ainda diversas oficinas, todas elas ligadas ao universo da pintora.

A exposição estará aberta de segunda a sábado, das 10h30 às 19h30. Os ingressos custam entre R$ 12,00 e R$ 30,00 e devem ser adquiridos no site www.ingressorapido.com.br Às segundas-feiras, a entrada é gratuita, sendo necessário reservar previamente os ingressos via Ingresso Rápido.

Frida e eu Foto Karina Leão

Frida e eu
Foto Karina Leão

Serviço:

Evento: Frida e eu

Data: 11/03/17 a 30/06/17, segunda a sábado

Horário de visitação: das 10h30 às 19h30

Endereço: Rua Oscar Freire, 2.500 – Sumaré – São Paulo/SP (ao lado do metrô Sumaré)

Telefone: 11 –3065-4333

Valores: Os ingressos devem ser adquiridos pelo site www.ingressorapido.com.br

  • Segunda-feira: gratuito
  • Terça-feira à sexta-feira: R$ 24,00 (inteira) e R$ 12,00 (meia)
  • Sábado: R$ 30,00 (inteira) e R$15,00 (meia)
  • Aos domingos o espaço não abre

Importante: Estudantes, idosos e professores pagam meia entrada (necessária a apresentação de documento de identificação ou carteira de estudante).

Faixa etária recomendada: a partir de 4 anos

Como chegar: A Unibes Cultural fica ao lado da estação Sumaré do metrô (linha verde). A linha de ônibus que passa no local é a 817c/10 (Lapa-Clínicas).

Com informações da assessoria de imprensa

frida e eu - Karina leao

Sobre a autora:

Olá! meu nome é Karina  Leão , tenho 32anos, sou turismóloga por formação e turista de paixão. Faço o  Blog da Lion.  Sou casada e tenho um filho de 5 anos. Adoro cozinhar e tento levar uma vida equilibrada.

 Quando meu filho nasceu, eu resolvi deixar a vida profissional na sua forma tradicional e me dedicar a minha família. Acontece, que isso me fez descobrir um mundo totalmente novo e cheios de desafios. Sempre gostei de registrar os momentos da minha vida, o diário que na adolescência era secreto, agora é aberto a todos. Assim, compartilho as experiências desta nova fase de vida. E desta forma, espero que as dicas e os aprendizados que tenho feito neste tempo possa ajudar  também, de alguma forma, a vida de outras pessoas.

Foto destaque: Daniela Corso


Meu nome é Patrícia Ribeiro. Sou formada pela Faculdade Cásper Líbero e já trabalhei como editora e repórter em revistas, jornais, sites e em assessoria de imprensa. Adoro contar histórias, sou curiosa e gosto de ouvir as pessoas. Como gosto de viajar, acabei escrevendo muitas reportagens de viagens e turismo e produzi guias de viagem nacionais e internacionais. Adoro a vida cultural da cidade e descobrir lugares novos. Resolvi aliar o que eu gosto do que faço no meu tempo livre neste blog e compartilhar minhas dicas com moradores e visitantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *