Maria Farinha: cozinha brasileira com clima de casa da avó Onde comer

Numa rua atrás do Largo da Batata, em Pinheiros, fica o discreto restaurante Maria Farinha. A decoração intimista, poucas mesas e dois murais nas paredes são  apenas uma pista da proposta do restaurante.  Uma mistura de sabores com pratos da cozinha brasileira, mas feitos com muito capricho e alguns ingredientes artesanais

baião de dois: leve e saboroso

.O carro-chefe do Maria Farinha é o baião de dois, prato que leva arroz, feijão, queijo coalho, carne seca, linguiça, manteiga de garrafa e nesta versão também veio um ovo frito. Foi um dos melhores que já provei. A diferença está na maneira que foi feito e seus ingredientes. A carne é seca de maneira artesanal, há apenas um tiquinho de manteiga de garrafa resultando num prato leve, com pouca gordura.  A porção é farta,  dá tranquilamente para uma pessoa que come bem. Tem também a paçoca de carne de sol, pilada com farinha de milho e servido com quibebe (purê rústico de abóbora), à mais complexa moda guarani. Há também a galinhada caipira, às vezes servida com pequi, fruto típico do cerrado.

Galinhada caipira

Para acompanhar, pedi um refresco de hibisco para equilibrar o prato calórico. Ainda veio uma saladinha de folhas verdes de entrada.  Na hora do almoço, o restaurante não  estava cheio e o atendimento foi rápido e atencioso. Para finalizar,  provei duas sobremesas, um sorvete artesanal de jabuticaba e um pudim de leite, que leva 12 ovos e não leva leite condensado. O resultado é uma sobremesa super leve e menos doce.

Mural no restaurante Maria Farinha
Foto: Patrícia Ribeiro/Passeios Baratos em SP

O cardápio

Todos os dias no Maria Farinha têm o prato executivo por R$ 30 ou R$ 35 com sobremesa.  Aliás nenhum prato custa mais que R$ 35 e bem servido.Terça-feira é  dia de  copa lombo à milanesa com salada de batata e ovos; quarta é dia de rabada com mandioca e agrião; quinta tem costelinha suína, arroz caldoso com tomates, ovo caipira frito, couve no alho e vinagrete de banana da terra, sexta é dia de picadinho de carne, arroz, feijão preto, vinagrete, farofa de banana e ovo caipira frito. No cardápio há também o baião de dois vegetariano.

Rabada com mandioca e agrião

A chef Lisandra Amaral do Maria Farinha se inspirou na cozinha caipira brasileira para elaborar seu cardápio, que tem pratos nordestinos, mineiros, goianos e  do interior paulista, de onde é sua família, Cachoeira Paulista. Formada em gastronomia pelo Senac, Lisandra fez um trabalho de pesquisa sobre a culinária brasileira e descobriu que o milho está presente em vários pratos, seja em forma de farinha ou em outras versões.

O carro chefe dos petiscos é o bolinho caipira, um quitute tradicional do Vale do Paraíba, especialmente durante as festas juninas. A chef resgatou a receita da avó e pesquisou durante algumas semanas por várias cidades da região até chegar a que mais trazia memória afetiva e representatividade nos livros tradicionais. No Maria Farinha, ele é feito à moda de Cachoeira Paulista, com farinha de milho e recheio de carne moída.

Para finalizar, um pudim de leite

O cardápio é enxuto, mas muito bem elaborado. Tem cerveja de garrafa, longneck, caipirinha, refresco e não poderia faltar a cachaça. Para sobremesas, o restaurante trabalha com sorvete artesasanal, pudim de leite e banana da terra flambada e sorvete de paçoca. Os preços variam de R$ 6 a R$ 15.

Lisandra quer manter o clima intimista e a cozinha “ da avó do interior” e não pretende crescer  de tamanho, apenas incrementar o cardápio. O atendimento personalizado e o ambiente intimista do Maria Farinha faz a gente ter vontade de voltar e provar todos os pratos da casa.

A jornalista visitou o restaurante a convite da assessoria de imprensa

Maria Farinha Cozinha
Endereço Rua Padre Carvalho, 771
Pinheiros – São Paulo
Telefone: 11 3031-5496

Horário de funcionamento : terça a sexta das 12h às 15h e sábados, das 12h às 18h.
Instagram: instagram.com/mariafarinhasp
Facebook:facebook.com/mariafarinhasp

Bolinho caipira


Meu nome é Patrícia Ribeiro. Sou formada pela Faculdade Cásper Líbero e já trabalhei como editora e repórter em revistas, jornais, sites e em assessoria de imprensa. Adoro contar histórias, sou curiosa e gosto de ouvir as pessoas. Como gosto de viajar, acabei escrevendo muitas reportagens de viagens e turismo e produzi guias de viagem nacionais e internacionais. Adoro a vida cultural da cidade e descobrir lugares novos. Resolvi aliar o que eu gosto do que faço no meu tempo livre neste blog e compartilhar minhas dicas com moradores e visitantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *