O famoso sanduíche Bauru, do Ponto Chic, completa 80 anos: conheça sua história Onde comer

Conhecida como capital gastronômica, São Paulo tem também receitas inventadas exclusivamente na cidade. O sanduíche Bauru é um exemplo. Criado há 80 anos, no bar e lanchonete Ponto Chic, ganhou este nome por causa do apelido do seu criador.

Mesmo com tantas opções de restaurantes e fast-foods, quem aprecia um bom lanche não deve deixar de provar este original Bauru do Ponto Chic. Há outras variações da receita, o mais conhecido leva queijo, presunto e tomate. Porém, o Bauru do Ponto Chic é o único  oficializado pela lei municipal 4314, de 24 de junho de 1998, aprovada pela Câmara dos vereadores de Bauru, que consiste em um pão francês com rosbife, fatias de tomate, picles e uma mistura de queijos derretidos em banho-maria (prato, estepe, gouda e suíço).

História

Um dos alunos da Faculdade de Direito do Largo São Francisco, Casimiro Pinto Neto, era frequentador do Ponto Chic. Um dia, não quis nada que tinha no cardápio e foi falando ao garçom como queria seu sanduíche e assim criou a receita como é conhecida hoje. Isto foi em 1937 e logo o lanche tornou-se um dos mais pedidos da casa. Bauru era o apelido do estudante, que nasceu naquela cidade. 80 anos depois, o lanche continua atraindo moradores e turistas.Na unidade do Paissandu tem um busto em homenagem ao estudante.

A casa foi inaugurada anos antes, em 1922, pelo italiano Odílio Cecchini, em plena Semana de Arte Moderna. Logo se transformou em ponto de encontro de artistas, intelectuais e políticos. Mario de Andrade e Monteiro Lobato tinham várias discussões acaloradas em suas mesas. Teve um período que não era recomendado que as mulheres entrassem, por causa dos debates promovidos pelos frequentadores. Na década de 1950 Adoniran Barbosa e os Demônios da Garoa eram frequentadores assíduos do bar. Nos andares superiores chegou a abrigar o bordel da francesa Madame Fifi.

Equipe do Ponto Chic da década de 50
Foto: Divulgação

Contudo, os anos se passaram e a crise chegou. Em 1977, a casa recebeu uma ação de despejo e até 1980 o Ponto Chic permaneceu fechado. Naquela época só existia a unidade do Paissandu. Um antigo garçom da casa, Antônio Alves de Souza,comprou a marca e reabriu uma nova unidade em Perdizes em 1978. Em 1980, ele reabriu a casa no tradicional endereço no Largo do Paissandu. Depois inaugurou a terceira unidade no Paraíso em 1986.

A inconfundível casa amarela, um prédio histórico de 1905, no centro de São Paulo chama a atenção. Até hoje é frequentado por políticos e personalidades. Já passaram por suas mesas o então prefeito de São Paulo da época Jânio Quadros, o governador Franco Montoro, o cantor Orlando Silva, o jornalista esportiva Blota Júnior, entre outros. O ex-prefeito de Bauru também fazia questão de ir ao bar quando ia a São Paulo.Também foi frequentado  pelos torcedores do Palmeiras, já que seu primeiro dono fazia parte da Sociedade Esportiva Palestra Itália.

Montagem Bauru

Em 2011, foi lançado o livro que conta a história do lugar pelo jornalista Ângelo Iacocca: Ponto Chic – um bar na história de São Paulo .   Com apresentação de Ignácio de Loyola Brandão, também um grande apreciador do bar, o título traça os principais momentos do desenvolvimento de São Paulo, seus movimentos políticos e artísticos, além da transformação de uma pacata cidade provinciana em uma das maiores metrópoles do mundo “O Ponto Chic foi a instituição mais democrática que conheci, igualava classes socais, promovia a solidariedade. Dia e noite, cheio, barulhento”, relembra  Loyola Brandão.

Rodrigo Alves, proprietário da casa e neto de Antônio Alves de Souza, conta que chegam a vender 17 mil Baurus por mês e os meses de maiores movimento são julho, novembro e dezembro.”Neste ano vendemos o dobro que vendemos em outros anos. Recebemos muitos turistas brasileiros e  estrangeiros que querem provar o sanduíche, temos até cardápio em inglês.” A casa também tem algumas promoções como na compra de um Bauru, o chope sai por R$ 3,99.

O empresário conta que a receita não é patenteada e ele incentiva que outros restaurantes façam o Bauru do Ponto Chic.

Receita do Bauru ao Ponto Chic

  1. a) 70g de Rosbife
  2. b) 100g de queijo (proporções iguais de Estepe, Prato, Gouda e Suíço) derretidos em banho-maria
  3. c) 3 rodelas de pepino em conserva
  4. d) 3 rodelas de tomate
  5. e) 1 pão francês (60g)

* Rosbife – Peça inteira de lagarto assado em fogo alto (braseiro), deixando dourada por fora e ao ponto por dentro

* Queijo – Mistura-se proporções iguais dos quatro tipos de queijo e cozinha-se em água com manteiga até completa mistura dos quatro.

* Pepino: pepinos inteiros cozidos no vinagre por 7 dias.

Modo de Preparo

Corta-se um pão francês ao meio no sentido horizontal

Retira-se o miolo da parte superior

Na parte inferior coloca-se de 5 a 6 fatias de rosbife

Em cima do rosbife são colocadas 3 rodelas finas de tomate

Em cima do tomate são colocadas 3 rodelas finas de pepino em conserva

Em uma forma ou frigideira aqueça um pouco de água (300ml) sem deixar ferver.

Coloque para derreter na água 10g de manteiga

Após derreter a manteiga mistura-se, em proporções iguais de cada tipo de queijo e deixa derreter até formar uma pasta homogênea.

Na parte superior do pão (canoa) coloca-se o queijo derretido.

A parte superior do pão é colocada sobre a parte que já está preparada.

Corta-se ao meio em diagonal e pode saborear o verdadeiro Bauru em sua forma original!

Lojas do Ponto Chic

PAISSANDU

Largo do Paissandu, 27

Horário de funcionamento: segunda a sábado das 12h às 20h

PERDIZES

Largo Padre Péricles, 139

Diariamente das 11h às 20h.

PARAÍSO

Praça Oswaldo Cruz, 26

Todos os dias das 11h às 2h.

http://www.pontochic.com.br/


Meu nome é Patrícia Ribeiro. Sou formada pela Faculdade Cásper Líbero e já trabalhei como editora e repórter em revistas, jornais, sites e em assessoria de imprensa. Adoro contar histórias, sou curiosa e gosto de ouvir as pessoas. Como gosto de viajar, acabei escrevendo muitas reportagens de viagens e turismo e produzi guias de viagem nacionais e internacionais. Adoro a vida cultural da cidade e descobrir lugares novos. Resolvi aliar o que eu gosto do que faço no meu tempo livre neste blog e compartilhar minhas dicas com moradores e visitantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *