Eduardo Kobra faz homenagem a Senna  com mural em Interlagos É Grátis

O muralista Eduardo Kobra preparou um mural para homenagear Ayrton Senna no autódromo de Interlagos, onde o piloto brasileiro fez história com duas notáveis conquistas na F-1, em 1991 e 1993. A obra foi concluída em março, mas devido à pandemia decidiu-se fazer o lançamento no dia 12 de maio, data do aniversário de 80 anos de Interlagos, cujo nome oficial é José Carlos Pace, em homenagem a outro grande piloto brasileiro.

O ex-piloto, falecido no dia 1º. de maio de 1994, é uma das grandes referências de Kobra. É o “personagem” que mais aparece nas obras do conhecido artista urbano brasileiro: são 11 murais, além de uma tela, de pequeno, médio e grande porte, o último deles no autódromo de Ímola, na Itália. “Cheguei a pensar em suspender tudo, devido a essa terrível pandemia que acontece no mundo inteiro, mas achei que Senna, com seu exemplo de resiliência, é um símbolo ainda mais importante em um momento tão difícil como este. Por isso escolhi para retratar no mural o instante icônico de 24 de março de 1991, quando, após correr a parte final da prova apenas com a sexta marcha do carro, Senna chega extenuado ao pódio e, juntando suas últimas forças, consegue erguer com a mão direita a taça da vitória”, diz.

Segundo Kobra, “Senna transformou o ato de pilotar carros de corrida em, além de um esporte, uma verdadeira arte, que encantava a todos”. Ele acrescenta: “em todos os murais que faço no mundo pinto a bandeira do Brasil, o que é influência direta do orgulho que Ayrton Senna tinha de carregar a bandeira brasileira após as provas e principalmente do desejo que ele tinha de compartilhar com todos os brasileiros as suas conquistas”.

Há oito décadas era realizada com grande entusiasmo a inauguração de um dos principais circuitos de automobilismo da América Latina. O Autódromo José Carlos Pace, conhecido no mundo todo por Autódromo de Interlagos, revelava ao público as suas curvas sinuosas no dia 12 de maio de 1940. A corrida foi um marco para a sociedade na época, pois até então as competições eram realizadas nas ruas do Jardim América.

Stock Car
Foto José Cordeiro/SPTuris

Como tudo começou

Inicialmente, Interlagos tinha sido planejado para ser uma cidade-satélite onde, além de um autódromo, teria infraestrutura como residências, conjuntos comerciais, hotel, igreja e outros estabelecimentos. O primeiro projeto começou a ser desenhado em meados da década de 1920 pelo engenheiro britânico Louis Romero Sanson, que possuía um plano imobiliário para a região sul da capital paulista. Com participação de Alfred Agache, o urbanista francês sugeriu batizar a área de “Interlagos”, pela semelhança com a região suíça de Interlaken – que significa “entre lagos” –, pois fica entre duas represas paulistanas, Billings e Guarapiranga.

Lollapalooza
Foto_MarceloIha_

Principais eventos

Hoje, o Autódromo é palco de competições de porte nacional e internacional, além de provas de motociclismo, outros esportes a motor e eventos diversos.

Da Fórmula Vee, passando pela Stock Car até as máquinas de Fórmula 1, a pista paulistana também possui etapas de motovelocidade como a Super Bike ou de pesos-pesados como os caminhões da Fórmula Truck.

Nos demais espaços, festivais de música como o Lollapalooza e outros eventos completam o calendário cheio do equipamento, com movimento o ano todo.

GP Brasil de Fórmula I
Foto Beto Issa

Mudanças de traçado

A pista original do Autódromo tinha 7.960 metros de extensão, e diminuiu para 7.873 metros em 1979, quando foram feitas reformas para voltar a receber a Fórmula 1. Mas foi após uma grande intervenção realizada no final da década de 1980 que o traçado passou a ter 4.325 metros, de acordo com as novas exigências da organização da categoria.

O circuito teve que se adaptar, como parte de um processo de modernização que também favoreceu a segurança e esportividade de outras provas nacionais. Todos os pilotos elogiam bastante o traçado, por ser desafiante e propiciar um grande espetáculo ao público.

Revitalização

Entre julho e novembro de 2014, o Autódromo recebeu a primeira etapa de intervenções para melhoria do equipamento, que incluiu:

– Recapeamento de toda a pista do circuito oficial e também do pitlane (área pavimentada lateral à pista de corrida usada para recepção dos carros).

– Aumento da entrada dos boxes, que ficou mais larga – passando de 30 para 45 metros – e mais extensa, começando cerca de 300 metros antes da antiga.
– Criação de uma área de escape na curva ‘S do Senna’ com cerca de 10 metros e alteração de traçado da saída dos boxes.

Superbike

Kartódromo Ayrton Senna – O berço do automobilismo

Doze curvas, 1.150 metros de extensão e quase meia década de existência. Este é o Kartódromo de Interlagos, uma das primeiras pistas dedicadas à modalidade, inaugurada em 1970 e que foi reaberta em 2015 com melhorias feitas no mesmo período das reformas no Autódromo no ano anterior.

A pista do kartódromo serviu de aprendizado para os principais pilotos brasileiros. Passaram por aqui Emerson Fittipaldi, Walter Travaglini, Ayrton Senna, Paulo Carcasci, Rubens Carrapatoso, só para citar alguns. Todos se formaram nesta pista que é uma verdadeira escola no começo de carreira.

Muitos pilotos que ainda correm na atualidade treinam kart para se manter em forma. Berço do automobilismo, o equipamento foi rebatizado em 1996 de Kartódromo Ayrton Senna em homenagem ao tricampeão de Fórmula 1.

Pista de arrancada

O “Retão” – pista auxiliar que faz parte do circuito antigo do Autódromo de Interlagos –, também possui uma recente estrutura que, além dos cursos ministrados por escolas de pilotagem, possibilita disputas de provas de arrancada. Um trecho com 500 metros de extensão possui equipamentos que garantem mais segurança para esse tipo de atividade.

São 500 metros de guard rails dos dois lados da pista, grade de proteção lateral, pintura e sinalização do asfalto. A pista permite a realização de provas com dois carros emparelhados, que disputam a arrancada lado a lado de forma segura para pilotos e público. Além disso, evita-se os chamados “rachas de rua”, perigosos porque acontecem em vias públicas e colocam em risco a vida das pessoas.


Meu nome é Patrícia Ribeiro. Sou formada pela Faculdade Cásper Líbero e já trabalhei como editora e repórter em revistas, jornais, sites e em assessoria de imprensa. Adoro contar histórias, sou curiosa e gosto de ouvir as pessoas. Como gosto de viajar, acabei escrevendo muitas reportagens de viagens e turismo e produzi guias de viagem nacionais e internacionais. Adoro a vida cultural da cidade e descobrir lugares novos. Resolvi aliar o que eu gosto do que faço no meu tempo livre neste blog e compartilhar minhas dicas com moradores e visitantes.





APOIE PASSEIOS BARATOS EM SP!

Nós somos uma agência de turismo e no momento estamos sem poder trabalhar. Enquanto isso, nós criamos conteúdo relevante sobre São Paulo e outras cidades, dicas de lugares e passeios no nosso blog. Ajude-nos a continuar nosso trabalho fazendo uma contribuição.

Clique aqui, para nos apoiar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat